Tempos de Mudança

Imagem

Nossa faz muito tempo que não ando por aqui. Vendo alguns comentários de carinho me deu aquele nó na garganta. Parei de escrever aqui por que estava num momento meio assim, sei lá, as categorias do blog não me completavam mais e voltar aos 16 parece bem pretensioso para a Silmara de 21 anos. Quando criei os 16 haviam vários motivos pelos quais eu queria voltar a essa idade e fazer tudo de novo (nenhum deles era  extremamente ruim, que fique claro) eu achava que não havia caminhado da maneira correta, mas há dois anos perdi meu pai e repensei milhões de coisas sobre quem eu sou, o que quero entre outras coisas e estudei bastante outros milhões.

Ainda prefiro cachorros, gosto de moda e música é quase como o ar que eu respiro. Ainda me emociono com qualquer coisa e agora cada vez mais sinto vontade de espalhar notícias boas pelo mundo, mas algo mudou e se vocês ainda estiverem aí do outro lado posso passar pouco a pouco as coisas que estou aprendendo agora e quem sabe juntos nós não possamos mudar o mundo (pelo menos ao nosso redor!) e ter 16 Outra Vez de alma e coração para que com a pureza e disposição dessa idade a gente consiga realizar nossos sonhos.

Então até qualquer hora sem grandes pretensões 🙂

Entre Aspas: Mais vale sonhos voando que um conformismo na mão!

Então os anos passam e você entende que boa parte de tudo que sonhou não vai acontecer. A maturidade te obriga a pagar contas, ter emprego fixo e garantir o fundo de garantia para uma velhice tranquila. Aos poucos, a bagagem dos sonhos começa a pesar e decidimos ir abandonando as vontades pelo caminho. Mudamos nossas atitudes e nos conformamos com o que a vida nos reservou.

Alguns sentam e lamentam, outros relaxam e continuam querendo. Eu faço parte da segunda categoria. Posso adormecer um sonho, mas vira e mexe vou até ele e mostro que ainda estou aqui. Outras vezes finjo que esqueci da sua existência, mas o amarro bem perto pra ele não fugir. Muitos sonhos vão sobrevoar nossa vida e aqui do chão parecerão impossíveis de serem alcançados. Mas eu não desisto e estendo meu braço. Além disso, os obstáculos do cotidiano vão cortar as asas do nosso pensamento fazendo muito do que queremos tornar-se impossível.

É verdade, pode ser que eu de fato não consiga chegar até eles, mas a confiança já faz de mim uma pessoa bem melhor.

 

Fernanda Gaona dona do blog deliriosesuspiros.blogspot.com, uma jornalista que vive entre linhas e “aos pés das letras”. Desde que escreveu seu primeiro verso, foi amor a primeira rima. É uma observadora nata e otimista incurável. Escreve nas horas vagas pra destacar o lado bonito da vida. Porque a rotina já é dura o bastante e bom mesmo é reinventar.