Dança

A graduação em Dançapossibilita o aluno a ter um amplo conhecimento na área de dança, fornecendo um aprendizado muito superior do que aquele que é ministrado em cursos livres e academias. Proporciona aos profissionais desta área a oportunidade de conquistar novos caminhos e aumentar seus conhecimentos.

O profissional formando em dança pode apropriar-se de elementos semelhantes a todas as técnicas específicas, como ritmo, equilíbrio, alinhamento, controle respiratório, agilidade de pensamento. Ele conhece os movimentos priorizados por técnicas corporais, aplica conhecimentos biológicos no fazer dança, analisa criticamente as manifestações culturais da dança.

Duração do Curso: 4 a 5 anos

Área: Humanas

Salário Médio: R$ 1.850,00

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

It Peça: Peplum

Peplum nada mais é do que o volume na cintura. Seja feito por babados, tecidos mais cheio. Ele é um aliado feminino desde a década de 40, mas ficou bons anos adormecido. Agora ele volta com força total começando nesse inverno mas ganhando mais visibilidade no nosso próximo inverno. Mas cuidado! Ele pode ser um forte aliado ou acabar com a harmonia do corpo. Pois quem já tem quadril, ao invés do volume ajudar a disfarçar a saliência ele pode acabar chamando mais atenção. Então na hora de escolher uma peça Peplum comece sempre optando por menos volume e linhas retas.

Em peças na altura do joelho, o peplum acaba sendo mais restrito. Se você tiver pernas longas e quadris estreitos combine sempre a peça com outras mais sequinhas, como skinny e saia lápis.


As mais baixinhas podem alongar a silhueta usando sapatos de tom nude ou combinar a blusa com uma saia acima do joelho. As produções monocromáticas também funcionam, pois ajudam a compensar a quebra da silhueta.

Em todos os casos, o salto alto é mais do que bem-vindo.

Mas será que essa moda pega?

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Tá rolando: Wide Awake – Katy Perry

A nova música da Katy Perry é estranhamente legalzinha. O clipe saiu dia 18 de junho, mas confesso que depois do show do Rock in Rio fiquei com um pé atrás em relação a cantora, por isso só vi o vídeo essa semana e de verdade a letra da música é até atraente e com certeza voltada para o ex-marido da cantora.

“Não consegui esperar até amanhã e vou mostrar para vocês o clipe de #WIDEAWAKE? HOJE”, ela tuitou antes do lançamento.

Em entrevista anterior à MTV gringa, Katy havia comentado: “Eu queria contar uma história sobre mim mesma passando por essa jornada, às vezes tentando escapar deste labirinto. Tem partes boas, tem partes ruins”, considerou.

A qualidade de fotografia do vídeo não deixa a desejar e é legal ver essa transição da cantora do mundo colorido para o mundo dark. Fases que odo mundo tem o tempo todo. Fora que é impagável o soco na cara do Russel Brand, montado em um unicórnio.  Segue o clipe:

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Na Playlist: Ainda é cedo – Legião Urbana

Legião é lendário, clássico e muitos outros adjetivos que não tenho nem como explicar. Ultimamente suas músicas não saem do meu celular nem da minha cabeça. Por isso ela está aqui hoje eu adoro essa história:

Uma menina me ensinou/ Quase tudo que eu sei/ Era quase escravidão/ Mas ela me tratava como um rei

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Foto Perfeita – parte 4

Quem quiser conferir os outros posts clica aqui.

1) Em todas as fotos que tirar sentada, procure sustentar o corpo em um dos braços, mas sem fazer força e sem jogar seu corpo no braço, para que não fique aquele aspecto de “gorda”, um mega braço de lutador. Isso vale para fotos em pé também, não faça força nos braços. Se tiver de biquíni, sente-se de maneira leve e com postura para não ficar marcas estranhas nas pernas e nem deixar seu corpo achatado e acharem que você tem celulite.

2) Se você tem bocão, muito cuidado com brilho labial ou batom muito clara com brilho. Se não, só vai dar sua boca na foto! Prefira tons, mas opacos.

3) Procure, na frente do espelho, quais são os seus melhores ângulos. Use uma lanterna para jogar luz sobre o rosto de diferentes maneiras e aprender como ela modifica a sua imagem.

4) Fazer um auto-retrato segurando a câmera no alto deixa o queixo marcado e mais fino. E os braços ficam longos e mais esguios. Caso essa não seja sua vontade, cuidado com esse tipo de auto retrato.

5) Pessoas de rosto muito redondo ficam parecendo uma bolacha Trakinas quando se deixam fotografar de frente, principalmente sob muita luz. Prefira o semiperfil, em que apenas ¾ do rosto é o melhor ângulo, mesmo para pessoas de rosto fino.

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Eu indico: Anjo da Morte – Pedro Bandeira

O professor de teatro foi assassinado pouco antes da estreia da nova peça e ao seu lado foi encontrado um folheto neonazista.Descobrir os envolvidos é uma nova missão para o grupo de adolescentes “Os Karas” (aquele grupo de A Droga da Obediência) e, além disso, terão que enfrentar o Anjo da Morte, um ex-oficial nazista, principal suspeito do crime e aquele que mais atrapalha as investigações do grupo.

O livro Anjo da Morte, de Pedro Bandeira é uma aventura gostosa e divertida que dá vontade de pegar a nossa própria capa e ir salvar o mundo. Poderia dizer que é um bom presente para a prima mais nova ou para a irmãzinha, mas  Pedro Bandeira é mais profundo do que parece. O autor sempre trata de temáticas importantes com a leveza necessária para não nos deixar amedontrados.

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Entre Aspas

Num canto qualquer, de uma grande cidade, um jovem cansado de nada ser. Talvez não fosse o cansaço exclusivo do rapaz, mas marca essencial da juventude do mundo. Mundo tão grande, coração apertado. O jovem cansado gritava, berrava, chorava – sempre em silêncio. Quem o ouvia? Ninguém o ouvia. Tudo era saudade – de pião, bola na rua, de baile de formatura. Saudade do simples da vida, do vento no rosto, do beijo gostoso da primeira namorada.

Num canto qualquer, um quarto cheio – cheio de vazio, e um silêncio cheio de significado. Um jovem qualquer, uma agonia invisível, uma vontade de ir. De ir para onde? Para longe dali, do quarto, da cidade, dos contatos frios. Seria loucura? É certo que sim, mas não é de loucuras que se vive o homem? Precisa coragem – queimar seus navios. Desbravar novas terras, novos olhares, novas pessoas que se falem de perto, que se deem as mãos, que se cheirem e se ouçam – se sabe da voz.

Num canto qualquer, um coração tristonho – querendo ter paz, querendo salvar o pobre rapaz da dor que em si se instalou. Precisa de outros, não mais os que batem tão ao lado. Não compreendem esses corações a luta que o seu trava, pois talvez sejam apenas órgãos humanos e não mais figura poética absoluta de amor. Se acaso encontrasse ou a ti lhe chegasse um peito irmão que nas veias e artérias de tanto amor – maior confusão – a dor lhe tiraria em sorrisos tão vãos.

Num canto qualquer um escritor pensando, pensando demais, rachando mesmo a cabeça para unir as pontas do começo com o fim de um texto. Numa cidade tão grande o escritor tão cansado de nada ser. Saudade de nada. Esperança de tudo – frases feitas e tão vazias. Um mundo tão grande e tudo tão perto – um mundo encolhido e a gente sozinho. Sozinho? Quem, onde?

Num canto qualquer – eu ou você, homem – mulher. Tristes, felizes, juntos, cansados. Buscando a paz – paz que não é pra quem quer. Seguir, seguir, seguir, será que vão conseguir? Creio que sim, a vida arruma seu jeito até para nós que vivemos num canto qualquer, de uma cidade qualquer, em um texto qualquer.

Sobre o autor: Caio Augusto Leite tem 19 anos, cursa letras na Universidade de São Paulo, e escreve poesias, crônicas e contos. Começou a fazer sucesso com o seu Tumblr, o “Vento de Maio” e também atualiza constantemente o seu blog. Vem ganhando espaço na internet, por meio das redes sociais.

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.