Na Playlist: It’s My Life – Bon Jovi

Eu tenho apenas 16 anos, mas às vezes quando ouço essa música me sinto uma velha! Ninguém mais liga para músicas inspiradoras como essas. Alguém que tem a minha idade e está lendo isso agora escuta músicas como essa?

Hoje é um dia importante para mim e essa música fez parte da minha inspiração para mudar meu destino, para parar de crer que eu estou velha demais para recomeçar. Eu vou colocar a Silmara existente aqui dentro para fora e sem medo de me comprometer, afinal viver é se comprometer! Inspire-se nisso você também. É Agora ou Nunca! Bom Dia!

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Entre Aspas

Se você está sofrendo por causa de um amor perdido, eu tenho más notícias: não há nada que você possa fazer. E não há ninguém que possa ajudar. Na melhor das hipóteses, você vai ter um amigo paciente pra levá-lo a um bar e ouvir suas queixas e, eventualmente, buscar você em um bar e levá-lo pra casa com segurança, nos dias que você se comportar feito um bobo. Na verdade, até existe alguém capaz de curar sua dor, mas esse alguém não costuma ter pressa: ele se chama tempo.

Portanto, procure levantar sua cabeça, e dar um passo adiante, por menor que seja, porque você ainda tem um longo caminho a percorrer dentro desse inferno. Ter pena de si mesmo não vai ajudar em nada, e por mais que você que não acredite, eu posso te garantir que você sente algum prazer em cultivar esse sofrimento. Sim, estar triste é uma forma de exercer a paixão, quando o alvo dessa paixão já se foi. Você está usufruindo o seu direito de estar eternamente apaixonado. Isso é ótimo, prova que você é um romântico.

Mas, coisas ótimas não costumam ser baratas, e você tem que pagar seu preço. Em algum momento, tudo isso vai passar. E nesse caso, quando o furacão for embora, ele não deixará destroços, como se nada tivesse acontecido. Você vai recuperar suas noites de sono. Vai se sentir revigorado, vai estar feliz consigo mesmo, vai levantar sua auto-estima. Você vai estar pronto pra entregar seu coração à outra pessoa, mesmo correndo o risco de parti-lo em mil pedaços novamente, porque o amor… sempre vale a pena.”

Look Inspiração

O look inspiração de hoje é super fofo e cheio de atitude. Bem fácil de montar não?! E o melhor de tudo vale para lugares quentes como minha cidade também. É só substituir a jacketa por um casaco de malha.

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Eu indico: Mulheres Solteiras Não São De Marte – Letícia Vidica

Diana, Lili e Betina são amigas inseparáveis. E assim como todas as mulheres elas gostam de conversar, passear, fazer compras e namorar. Mas é claro que o universo feminino não é feito só de coisas boas. Como em um papo descontraído no bar Diana vai contando seus problemas cotidianos e seus apuros nos relacionamentos com homens de todos os tipos: canalhas, grudentos, super-heróis, traidores, fofinhos, príncipes, sapos e outros tantos babacas. Com certeza você irá se reconhecer em alguma (ou muitas) das histórias compartilhadas por essas amigas. Uma lição de vida e bom-humor que irá ajudá-la a superar, escapar e reconhecer o que cada homem tem para oferecer. Sem rodeios ou invenções. Baseado no blog Papo de Calcinha, este livro reúne uma coletânea das melhores histórias postadas no site, e algumas outras inéditas para você!

” Quem disse que o vírus da dengue e da gripe suína são as piores do mundo? Eu discordo em gênero e número. O da paixonite é pior ainda. E toda mulher, em sã ou sem consciência, será picada por ele, um dia, e vai sofrer  desse mal. Eu, quase sempre, sofro dele.” Pág. 264

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Na playlist: Never Surrender – Skillet

Músicas com letras fortes desapareceram nos últimos tempos. Hoje a música nacional se reduz a monossílabas coreografadas e a música internacional que tanto me salvou do tédio em outras épocas, hoje é um festival pop também monossilábico. Eu me recuso a entrar na onda, me recuso a ouvir o que anda tocando por aí. E é por isso que na minha playlist hoje tem Never Surrender:

Eu não quero me sentir assim amanhã/ Eu não quero viver assim hoje/ Faça-me sentir melhor/ Eu quero me sentir melhor/ Fique comigo aqui/ E nunca desista
Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Eu indico: Estilhaça-me – Tahereh Mafi

Juliette não toca alguém há exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

A primeira coisa notável em Estilhaça-me é a forma com que Tahereh Mafi escreve o que se passa na cabeça de Juliette. Pode parecer estranha e louca. E é esse mesmo o objetivo, afinal, Juliette não tem ninguém com quem conversar há 264 dias além dela mesma. Entre outras coisas que para alguns pode até tornar a leitura difícil. Eu particularmente gostei. Ele é diferente apesar de ser uma temática sobrenatural.

Não consigo me lembrar do calor de qualquer tipo de abraço. Meus braços doem em virtude do inescapável isolamento. Minha própria mãe não poderia me segurar nos braços. Meu pai não poderia aquecer minhas mãos congeladas. Vivo em um mundo de nada. Pág. 14

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Filme da Semana: Amor a toda prova

Não é porque ele é com a minha diva Emma Stone! O filme é realmente muito bom. Cal Weaver (Steve Carell) tem quarenta e poucos anos e leva uma vida perfeita, com um bom emprego, filhos e um casamento com a namorada do colégio, Emily (Julianne Moore). Até que, ao descobrir que Emily o está traindo e quer o divórcio, sua vida desaba por completo. Forçado a voltar ao mundo dos solteiros, ele enfrenta as dificuldades habituais de quem não sabe mais como se portar para se aproximar de uma mulher. É quando entra em cena Jacob Palmer (Ryan Gosling), um amigo que passa a lhe dar algumas dicas.

O filme tem um desenrolar leve e se você está atrás de entretenimento ele vai te arrancar boas gargalhadas e te deixar com um sorriso bobo também. A Emma Stone e a Julianne Moore são super parecidas! Fora que as cenas do Steve  Carell com o fofo Ryan Gosling são impagáveis.

Confere o trailler:

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.