Amor e outras ilusões…

Não importa o que faço, sempre que começo a falar sobre isso… é como imaginar que temos um enorme globo de cristal nas mãos, cheio de sentimentos e no centro está o amor, que coordena todos eles.

Eu não gosto de coisas simples. Eu gosto de complicações, e aventuras… mas pelo menos uma vez na minha vida eu desejo que este amor seja mais fácil… como um quebra-cabeça 3 anos de idade… para combinar facilmente todas as peças e mantê-los em um lugar seguro.

Eu sei que isso é uma ilusão, mas às vezes justamente essas ilusões nos tornam mais fortes e nos incentivam a sonhar e desejar mais.

Acho que todos nós precisamos dessas ilusões… o que pode ser mais agradável e relaxante do que simplesmente fechar os olhos e pensar em como você está desfrutando o cheiro da grama em uma manhã de verão, junto com a pessoa que ama …. Ou você pegar um bom jantar próximo a um lago calmo e tranqüilo… ou simplesmente olhar para um céu de agosto, quando há um monte de estrelas voando ….? e enquanto você está sonhando …. BOOM! Você acorda e olha ao redor e ver todos os problemas em torno de você…

 As ilusões são como o pó: depois de explodi-los, eles voam no ar, mas em determinado momento, eles se tornam constantes e assumem uma forma… Enquanto você continuar a sonhar com eles, você luta para torná-los reais… Mas como algumas partículas do fluxo de poeira, também parte de suas ilusões não vão chegar a uma realização.

Não é difícil sonhar, é difícil ter a coragem de sonhar. Vivemos num mundo em que nós pedimos e (achamos que) precisamos de resultados imediatos. Continuamos a pensar que às vezes o sonho é um desperdício de tempo e energia, que eles são intocáveis ​​e cheios de incertezas. Não faça isso! Você nunca se atreve a ser susto de ilusões, esperanças e sonhos! Lembre-se que… como você o corpo precisa de líquidos e alimentos para trabalhar, sua alma precisa delas para continuar vivendo. Nós não somos apenas carne e osso … Depois, alguém disse algo que ainda é como um eco em minha mente: “a nossa existência na Terra é apenas uma parte pequena e insignificante de um todo, onde a alma é o mais importante”. Poderia ser verdade?

Minha ilusão é fazer uma pintura bonita da minha vida com toda a poeira colorida flutuando ao redor, em minha mente… um dia, serei capaz de apresentá-la a todos vós … e ter orgulho disso …

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Moda em foco: Começou o SPFW!

Oi meninas fashionistas!

Começou o evento mais chic e esperado por nós amantes da moda. É hora de ficar de olho no que será tendência na próxima temporada.

Catei tudo de mais fofo (até agora) nas coleções e trouxe pra vocês.

A edição desse ano apresenta o tema “Futuro”  e no primeiro dia de desfiles subiram na passarela as marcas: Animale, Tufi Duek e Samuel Cirnansck.

A Animale veio com um trabalho de transparência no próprio tecido, que tem uma pegada bem anti-tecnologica, com cara retrô e provencial como dá pra notar nas microflores aplicadas nas peças, alfaiataria mais despojada e mistura de pesos e tecidos nos modelos com crochê e paêtes.

A Tufi Duek veio com um trabalho lindo inspirado no universo tribal.

Samuel Cirnansck. Um desfile lindo e audacioso! São as únicas palavras que soam no meu pensamento quando vejo essa fotos. O desfile tinha modelos amordaçadas o que dava um ar macabro a produção. Perfeito. Com certeza usaria um dos vestidos dele!

O segundo dia foi marcado pelos desfiles de  Reinaldo Lourenço, Alexandre Herchcovitch,  Iódice, Cori, Jefferson Kulig, Triton.

Reinaldo Lourenço abriu os desfiles com uma coleção inspirada em Elizabeth Taylor. O estilista criou estruturas delicadas, mas fortes; glamourosas, mas “econômicas”.

Já a grife Movimento, segunda a se apresentar, trouxe uma moda praia com cores fortes e muita estampa.

Alexandre Herchcovitch apostou na tradição da costura artesanal dos anos 40 e 50.  A mulher da forma mais feminina possível. As cores são delicadas, mas a estrutura das peças são bem pensadas.

A Cori se inspirou no tênis, o esporte, e apostou na mulher que veste “esporte sem perder a classe”. Viseiras e bolsas de madeira e acrílico casaram com a alfaiataria bem cuidada.

A Iódice apostou no branco e nos vestidos esvoaçantes e soltos, em tons de azul, gelo e preto.

Jefferson Kulig trabalhou com crochê em formas desconstruídas.

A Triton encerrou o dia trazendo uma coleção com formas estruturadas e muita estamparia e cor.

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

 

Estreia: Qualquer Gato vira-lata

Oi pessoal!

Eu não sei vocês, mas estou ficando com a leve sensação de que o cinema brasileiro anda se inspirando no cinema americano. Não que as produções brasileiras estejam perdendo a identidade, muito pelo contrario, acredito que agora estamos começando a exportar o lado bom do Brasil.

Um exemplo? Não sei se concordam, mas o filme que estreou no fim de semana, chamado “Qualquer gato vira-lata”.

A história lembra um pouco “A verdade nua e crua”, na trama, Tati (Cleo Pires) é apaixonada por Marcelo (Dudu Azevedo), mas ele só gosta é de si mesmo e das piriguetes que caem na sua lábia. Ela faz tudo por ele, o que o deixa numa posição fácil. Ele sabe que não importa o que faça, sempre terá a moça de volta, basta um estalar de dedos e um pouco de charme. No dia do aniversário dele, Tati liga uma, duas, três, quatro, mil vezes. E mil vezes só consegue conversar com a secretária eletrônica. Essa cena inicial já mostra a predileção do diretor Tomás Portella por detalhes. São vários enquadramentos só no pé da moça, outro no telefone, nos vestidos caindo na cama e daí por diante.

Depois de tomar um pé na bunda na frente do bar, Tati se descontrola, chora, fica parecendo o Alice Cooper e no momento de desespero, tentando se acalmar, conhece Conrado (Malvino Salvador), um professor de Biologia que defende a seguinte tese: as mulheres, ao irem para cima dos homens, estão acabando com anos de história evolutiva, deixando os machos perdidos. O certo, diz ele, é a mulher ficar na sua e deixar o homem tomar a iniciativa. É assim há muito tempo com os marrecos, os cavalos e os leões, por que as mulheres querem mudar isso agora?

A moça, a princípio discorda do discurso machista do professor, mas como última cartada resolve se candidatar para ser a cobaia em sua tese. Ela começa, então a ser “treinada” por ele. Não atende o telefone logo no primeiro toque, se faz de difícil, esnoba e finge que está dando a volta por cima, enquanto na verdade ainda sofre pelo coração partido. Ao ver Tati o tempo todo com o tal professor, Marcelo fica com ciúmes e começa enfim a dar valor à namorada que perdeu.

Na analise técnica do filme ouvi dizer que ele não é extremamente bom, mas venhamos e convenhamos, pelo menos já é um passo a caminho da evolução do cinema nacional.

Segue o trailler do filme:

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Cabeça de vento – Meg Cabot

Meninas e meninos hoje vou falar de um livro que terminei de ler há alguns dias. Cabeça de vento – da Meg Cabot é um livro adolescente como aqueles que estamos acostumados a ver entretanto ele possui algo mais, e não, não me refiro a anjos ou vampiros. O livro aborda também ficção-científica e antes que você pense em et’s vou dizer o toque está relacionado a biotecnologia.

Airhaed titulo original, foi criado para ser uma serie. Na primeira parte do livro Em Watts, nossa heroína da vez tem 16 anos, está colégio e é uma geek total viciada em jogos de computadores, assim como seu melhor amigo – e paixão secreta – Christopher.

Mas sua vida muda completamente quando sua mãe a obriga a levar sua irmã a inauguração de uma unidade das Stark Megastores, na qual estará presente Gabriel de Luna, o cantor favorito da sua irmã, e também a modelo Nikki Howard, que é a garota propaganda da Stark. Mas no meio do evento Nikki e Em sofrem um acidente com o desabamento de uma TV de plasma e vão parar no hospital.

Quando Em sai do coma, depois de 1 mês, ela não é mais a mesma. Quero dizer, por dentro ela ainda é Em, mas por fora ela é Nikki Howard. Agora, Em está presa no corpo de uma top model pro resto da vida, para o mudo Em Watts morreu no dia do acidente na Stark e agora ela precisa assumir a vida de Nikki Howard e assumir todos os seus compromissos. E pior, não pode contar a ninguém sobre isso!

O que Em não sabia é que a vida de modelo não era tão fácil e fútil quanto ela pensava. Ela também não contava que Nikki tivesse diversos namorados, sem falar que agora Gabriel de Luna está caidinho por ela e a cada sorriso dado um cara diferente se joga a seus pés.

Em decide se matricular, como Nikki claro, no mesmo colégio que ela estudava antes do acidente. Isso para poder ficar de olho na sua irmã e também para ficar perto de Christopher, mas parece que Christopher é o único cara imune aos encantos de Nikki. Ele mal conversa com ela, mal a olha e seu sorriso não tem nenhum efeito nele. Ao que parece Christopher ainda não conseguiu superar a morte de sua melhor amiga. Mas como fazer ele percebe que Em ainda está viva? Só que, bem… de um forma diferente. E como encarar toda essa nova vida como Nikki?

O livro é super empolgante e tem partes tão “fofamente” constragedoras que da vontade de ler de novo e de novo. Sorte que minha curiosidade não vai durar muito tempo o vol. 02 já foi lançado e já está a venda.

Quem quiser conferir, mas não pode comprar da pra baixar na net é só clicar aqui:

Divirtam-se!

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Dia dos namorados e eu não tenho namorado!

Eu sempre sou de esquerda. – Nem sempre – Mas enquanto todo o mundo gira em torno do dia dos namorados e dos presentinhos que para eles você pode dar, eu veio até aqui falar das pessoas que irão passar o dia hoje sozinha (o) ou melhor solteira(o).

Eu vi muitos cartazes colados nas roupas ou frases de msn do tipo “alugo-me para o dia dos namorados” ou “prefiro ser solteiro no carnaval, do que namorado no dia dos namorados” ou ainda “alguém me manda flores domingo, por favor?”.

Pessoal é sério, acordem! Tudo bem que quando chega o dia dos namorados e você esta sozinha é quando você morre de inveja daquela sua amiga que namora há três anos. Mas e daí?! Amanhã já é 13 e toda aquela tortura de marketing em cima da data terá acabado.

Se você não se conforta em estar sozinha e está louca para ganhar um presente, porque não ir a uma lugar e se presentear? Você é independente e não pode e nem deve ficar se lamentando por não ter ninguém hoje.

Dê-se valor. Pode ser que o seu status de solteira só esteja perdurando pela falta de respeito com você mesma e com seus próprios valores. Afinal, namorar alguém que não te dá a mínima só pra você poder dizer que presenteou alguém no dia dos namorados, preenchendo seu cartão de crédito por meses a fio com um presente caríssimo, definitivamente não vale à pena. Ao invés disso, curta essa economia, ou faça um uso realmente útil desse dinheiro, com quem merece isso de você.

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Filme da semana: A mentira

Assisti esse filme há algum tempo e digo ele é muito bom, pra quem gosta de comédia leve esse é ideal. Ele foge aos clichês e consegue ser inteligente.

Olive (Emma Stone) era aquele tipo de estudante que ninguém notava a sua presença e seu amigo Brandon (Dan Byrd) sofria horrores na escola porque era gay. Até o dia em que eles tiveram a ideia de simular uma transa na presença de todos durante uma festa. Foi a deixa para que Olive tornar-se a mais popular da escola, mas toda malandragem tem seu preço e ela passou a ser perseguida por sua, digamos, liberdade.

Segue o trailler do filme:

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.

Play: Divulgados preços dos ingressos para os shows de Avril Lavigne

A diva do pop/punk nacional está a caminho do Brasil para uma mini turnê com direito a cinco apresentações.

E já foram divulgados os preços dos ingressos da cantora canadense. Ela se apresenta em São Paulo nos dias 27 e 28 de julho, no Credicard Hall. Depois, faz show no Rio de Janeiro, no Citibank Hall, no dia 31 de julho. Avril canta em Belo Horizonte, no Chevrolet Hall (2 de agosto) e em Brasília, no Ginásio Nilson Nelson (dia 4).

Os ingressos para os shows em São Paulo custam R$ 180 (pista), R$ 350 (pista premium), R$ 350 (camarote setor 1), R$ 300 (camarote setor 2), R$120 (plateia superior 1), R$110 (plateia superior 2), R$ 90 (plateia superior 3) e R$ 70 (plateia superior com visão parcial).

No show no Rio, as entradas saem por R$400 (camarote), R$ 350 (poltrona), R$ 85 (pista) e R$ 350 (pista premium). Em BH, os preços são R$160 (pista 1° lote) , R$180 (2°), R$ 200 (3°) e R$ 220 (4°). Ainda não foram divulgadas informações sobre o show em Brasília.

A venda para o público geral começa em 20 de junho. A pré-venda para clientes Credicard, Citibank e Diners para os shows em SP, Rio  e BH acontece entre 13 e 19 de junho.

Avril tem 26 anos e começou sua carreira em 2002, por meio de hits como “Complicated”, “Sk8er boi”, “Losing grip” e “I’m with you”, de seu primeiro trabalho “Let go”. Depois da estreia, ela já lançou outros três discos, sempre voltados para o pop rock, dos quais saíram sucessos como “Don’t tell me”, “Nobody’s home” e “Girlfriend”.

Ps: Ainda voltarei a falar sobre o assunto.

Gostou do post? Então segue o blog é só clicar #seguir aqui do lado. Sugestão de post? Manda pra mim é só entrar em contato. Até a próxima.